Acionistas minoritários da Latam acusam irregularidades maioritárias na secção C do financiamento

Novos antecedentes revelariam que as informações que lhes foram fornecidas na Assembleia de Acionistas do passado dia 18 de junho não eram verdadeiras e que, na opinião da minoria, a maioria tinha tudo acordado entre eles para contribuir com os fundos e, em seguida, aumentar substancialmente a sua participação na empresa, nos outros acionistas desavados.

Novos antecedentes juntaram-se na quinta-feira à Comissão do Mercado Financeiro os acionistas minoritários do Grupo Latam Airlines S.A., que na véspera enviou uma carta ao presidente da entidade, Joaquín Cortez, pedindo-lhe que ordenasse a intimação, no período mais curto, de uma Assembleia Desempredada.

Isto, para esclarecer as razões pelas quais o representante da empresa, nas audições que decorrem nos Estados Unidos por ocasião do Capítulo 11, prefere uma opção de financiamento para a tranche “C” em condições que apenas procuram “a proteção dos acionistas Costa Verde Aeronáutica S.A. e da Qatar Airways Company, em desordem da empresa” , como indicado na carta.

O grupo de minorias, que dos 22 signatários iniciais aumentou para 29, diz à autoridade diferentes circunstâncias que, na sua opinião, revelam que a óbvia “intenção da empresa era a exclusão deliberada de outros acionistas de participarem no financiamento, de tal forma que atualmente os únicos concorrentes para a tranche ‘C’, são os acionistas Costa Verde Aeronáutica S.A. e a Qatar Airways Company”.

Entre as situações relatadas é referido, a título de exemplo, que apesar de ter sido noticiado na Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 18 de junho passado, que na secção “C” de financiamento poderiam participar todos os acionistas interessados, na prática não era esse o caso, porque alguns que o desejavam e contactaram a Larraín Vial para o efeito. , como instruído na reunião, a resposta que receberam foi que o livro já tinha sido fechado um dia antes do conselho de administração e que o mínimo para participar era de um milhão de dólares.

Neste contexto, o novo pano de fundo apresentado hoje consiste em e-mails em que alguns acionistas minoritários percebem o seu interesse em participar na secção “C” de financiamento e contactaram a Larraín Vial, mas ficaram frustrados com as suas intenções porque não havia escolha para eles, o que revelaria que as informações que lhes foram fornecidas na Assembleia Geral não eram verdadeiras e que , na opinião das minorias, a maioria tinha tudo acordado entre eles para contribuir com os fundos e, em seguida, aumentar substancialmente a sua participação na empresa, em desordem para os restantes acionistas.

vinh
Sem comentários
Posted in:
Economia
Comments
There are no comments yet.
Write a comment
Your comment
Name
Email